Projeto do Centro de Pesquisas em Tecnologia de Inspeção, do CETUC, é vencedor do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica pelo terceiro ano consecutivo 

 Equipe foi contemplada novamente na categoria mais disputada

Uma ferramenta inédita no Brasil e no mundo, capaz de auxiliar na inspeção de dutos submarinos de produção petróleo e gás em águas profundas, em especial as do ambiente do pré-sal, desenvolvida na parceria entre o Centro de Pesquisas em Tecnologia de Inspeção (CPTI), um laboratório do Centro de Estudos em Telecomunicações (CETUC), e a Petrobras foi a grande vencedora do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica 2016, na categoria mais disputada: Inovação Tecnológica desenvolvida no Brasil por instituição de ciência e tecnologia (ICT) nacional em colaboração com empresa petrolífera. O prêmio foi entregue no dia 28 de julho.

 

O projeto do PIG Palito para Inspeção de Dutos Submarinos Multisize confere à PUC-Rio o tricampeonato na categoria. 

 

 </STRONG>Jean Pierre von der Weid, à direita da foto, e a equipe do CPTI e as equipes do CPTI e da Petrobras durante a premiação - crédito: divulgação<STRONG> 
 Jean Pierre von der Weid, à direita da foto, e a equipe do CPTI e as equipes do CPTI e da Petrobras durante a premiação - crédito: divulgação 

 “Os dutos em águas profundas apresentam configurações construtivas que requerem pigs especiais, dada a existência de grandes variações de diâmetro, grandes espessuras em diâmetros pequenos, altas pressões, grandes ranges de temperatura, longos percursos e gás como fluido principal. Daí o grande valor desse estudo para o segmento”, explica Jean Pierre von der Weid, do CPTI (Centro de Pesquisa em Tecnologia de Inspeção da PUC-Rio) e líder do projeto vencedor. Para ele, a vitória é fruto da inovação, ao oferecer uma solução inédita, já que, até então, estes dutos não podiam ser inspecionados.

 

 

Por Renata Ratton

Vice-Reitoria Acadêmica
PUC-Rio

 

Grupos de pesquisa do CETUC participam de 3  Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia recomendados para financiamento pelo CNPq, dentro da Chamada no. 16/2014,, conforme listagem divulgada em 11 de maio de 2016 em

São eles o "INCT on Wireless Communications" com sede na UFRN, o "INCT on Quantum Information" com sede na UFRJ e o "INCT on Semiconductor Nanodevices" com sede no LabSem/CETUC, todos recomendados para renovação com boa prioridade.

O Prof. Boisson do CETUC, enquanto Presidente do IEEE em 2014,  teve a honra de conhecer o Prof. Takkaki Kajita, da Universidade de Tokyo e um dos agraciados com o Prêmio Nobel de Física de 2015 em reconhecimento pelo descoberta de oscilações que provam que os neutrinos tem massa. Na ocasião, o Prof. Boisson dedicou uma IEEE Milestone nas instalações da Hamamatsu Photonics pelo desenvolvimento de uma válvula foto detetora de 20 polegadas, parte do detetor Kamiokande II e que permitiu a realização de pesquisas que resultaram no Premio Nobel de 1987, recebido pelo Prof. Masatoshi Koshiba cujo trabalho deu início a Astrofísica de Neutrinos. O Prof. Kajita e a Hamamatsu Photonics participam do grande projeto colaborativo que dá sequência  ao trabalho de vinte anos atrás e que é conhecido por Super Kamiokande.  Na foto, o novo detentor do Prêmio Nobel está em pé atrás do Sr. Hiruma, Presidente da Hamamatsu Photonics; também sentado na foto, o Prof. Boisson.

 

Categoria Inovação Tecnológica desenvolvida por instituição de ciência e tecnologia nacional foi a mais disputada do prêmio

Um sistema composto por família de robôs para limpeza e inspeção completa de dutos verticais, desenvolvido pelo Centro de Pesquisa em Tecnologia de Inspeção (CPTI) da PUC-Rio - que tem à frente o professor Jean Pierre Von der Weid, do CETUC (Centro de Estudos em Telecomunicações) - foi o grande vencedor do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica 2015. A cerimônia de entrega foi realizada ontem, no Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro.

No âmbito do AURI (Autonomous Underwater Riser Inspector), três opções foram desenvolvidas pelo CPTI em parceria com o Cenpes, da Petrobras: um robô elétrico que inspeciona dutos até 300m de profundidade, subindo e descendo com cabos umbilicais e trusters para autopropulsão; um robô autônomo que pode ir até três mil metros de profundidade, com movimentação a partir da flutuabilidade positiva e negativa; e um limpador de potência hidráulica com escovas rotativas para uso nos primeiros 50 metros dos dutos.

Os risers são componentes vitais para a produção de petróleo e gás no mar, pois conectam os equipamentos que estão no fundo do mar com as unidades flutuantes - as plataformas. Normalmente, são limpos e inspecionados por mergulhadores ou por ROVs (robôs de operação remota). O equipamento desenvolvido se instala ao redor dos risers, deslocando-se verticalmente para realizar os serviços.

 

 Modelo computacional do sistema AURI, a melhor inovação tecnológica do Prêmio ANP</STRONG><STRONG> 
 Modelo computacional do sistema AURI, a melhor inovação tecnológica do Prêmio ANP 

Outra inovação do projeto foi o desenvolvimento de um sistema semiautomático de limpeza de risers. Estes dutos normalmente são cobertos por vida marinha, que impede a visualização da superfície externa encobrindo os possíveis defeitos superficiais. Foi desenvolvido, então, o AURI de limpeza, composto por escovas rotativas que, além de realizar a limpeza externa, deslocam o equipamento ao longo dos risers. Como as escovas geram atrito contra a parede dos risers, este atrito gera o deslocamento vertical de descida ou de subida. Seu desempenho implica em uma limpeza e inspeção em tempo dez vezes menor do que os procedimentos normais.

Em sua terceira edição, o Prêmio ANP é reconhecido como um título de excelência, pois incentiva e reconhece o trabalho de instituições de pesquisas e empresas que desenvolvem soluções inovadoras para a indústria brasileira do petróleo, gás natural e biocombustíveis. 

A escolha do vencedor foi feita por um comitê integrado por profissionais do IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo), ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) e Coppe/UFRJ. Dos 55 trabalhos inscritos nas três categorias, a categoria I “Inovação Tecnológica desenvolvida por instituição de ciência e tecnologia nacional” ficou com 42 concorrentes para a seleção dos finalistas, revelando-se a mais concorrida.

Fonte: Approach Comunicação Integrada/Assessoria de Imprensa do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio)

Por Renata Ratton

Assessoria de Comunicação

Vice-Reitoria Acadêmica


Centro de Estudos em Telecomunicações da PUC-Rio
Rua Marquês de São Vicente, 225 - Ala Kennedy - 7º andar - Gávea - CEP 22451-900 - Rio de Janeiro - RJ
+55 21 3527-1679 / 3527-1680 / 3527-1151 / contato@cetuc.puc-rio.br
Copyright (C) 2013 CETUC. Todos os direitos reservados.
Site desenvolvido por Marcelo Balisteri