O Centro de Estudos em Telecomunicações da PUC RIO é:

Referência nacional em telecomunicações, o CETUC já estuda a tecnologia 5G, desenvolve projetos de acesso em banda larga para o Governo do Estado do Rio de Janeiro e investe em pesquisas de vanguarda para setores de telefonia, energia, forças armadas e agências espaciais

Banda larga, cobertura celular, 3G, 4G, fibra ótica, comunicação via satélite, sensores, telefonia fixa, antenas, TV digital, wi-fi etc. Tudo isso, que já faz parte do nosso dia a dia, é tema de diversas pesquisas realizadas pelo Centro de Estudos em Telecomunicações (CETUC) da PUC-Rio, que completa, neste mês de setembro, 50 anos. Desde a sua criação, em 1965, oCETUC é ligado academicamente ao Departamento de Engenharia Elétrica do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio) e, com o apoio de agências de incentivo à pesquisa como CAPES, CNPq, FAPERJ e FINEP, já formou mais de 400 mestres, cem doutores e outras centenas de engenheiros elétricos, com ênfase em telecomunicações, contribuindo de forma significativa para a integração do país e a formação de excelência na área.

“Recentemente, o CETUC recebeu o prêmio de Inovação Tecnológica ANP 2015 pelo AURI, o primeiro robô no mundo desenvolvido para limpeza e inspeção de dutos verticais para plataformas de petróleo. Isso confirma o nosso compromisso com a pesquisa de ponta para oferecer ao mercado o que há de mais avançado em termos de tecnologia e competitividade”, revela Flavio Hasselmann, Diretor do CETUC.

Com uma trajetória de grandes contribuições para as telecomunicações no Brasil e no mundo, incluindo parcerias com renomadas companhias estatais e privadas, o CETUC esteve à frente de importantes evoluções tecnológicas ao longo destas cinco décadas. Empresas como Telebras, Embratel, Siemens, Ericsson, Centro de Tecnologia do Exército, Instituto de Pesquisas da Marinha,Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo, Petrobras, além de diversas operadoras de telecomunicações, foram beneficiadas pelos estudos liderados pelo Centro de Estudos em Telecomunicações.

Seu corpo docente, com 17 professores, atua em pesquisas de ponta nas áreas de Antenas, Sistemas Ópticos e Micro-ondas, Optoeletrônica e Instrumentação, Radiopropagação e Sistemas de Comunicações. Reconhecido, tanto na academia quanto no mercado, dentro e fora do Brasil, como um dos centros mais desenvolvidos do país, diversos professores do CETUC integram os Institutos Nacionais de Tecnologia em Comunicações Sem Fio e de Informação Quântica, lideram o INCT de Nanodispositivos Semicondutores, além de coordenarem Comissões e Grupos de Estudo da ANATEL, Ministério das Comunicações, União Internacional de Telecomunicações (UIT) e União Internacional de Radiociência (URSI).

Em 1996, o Centro foi reconhecido como núcleo de excelência do PRONEX (instrumento do CNPq de estímulo à pesquisa e o desenvolvimento científico e tecnológico do país). Em 2014, o Institute of Electrical and Electronic Engineers (IEEE), a mais representativa sociedade técnico-profissional internacional dedicada ao avanço da teoria e prática da engenharia nos campos da eletricidade, eletrônica e computação, elegeu como CEO um professor do CETUC, sendo o primeiro e único brasileiro a ter conquistado tal posição.

CETUC teve papel fundamental na evolução das telecomunicações no Brasil

Ao longo desses 50 anos, o CETUC colaborou ativamente para a evolução das telecomunicações brasileiras. Na década de 60, elaborou normas técnicas para o recém-criado Conselho Nacional de Comunicações (CONTEL), desenvolveu projetos de antenas e dispositivos de radiodifusão e telefonia rural e produziu os primeiros modelos de radiopropagação do país.

Nos anos 1970, o CETUC participou dos primeiros contratos de P&D (pesquisa e desenvolvimento) com o surgimento da Telebras, apoiou as comunicações feitas via satélite, projetando antenas e dispositivos de recepção em estações terrestres, que futuramente seriam usados pela Embratel para transmissão de dados, telefonia e broadcasting domésticos. Também contribuiu com os estudos radiometeorológicos para transmissão em frequências elevadas e, investindo na formação de recursos humanos, enviou seus pesquisadores para doutorados no exterior e estágios em instituições como COMSAT (Communications Satellite Corporation), nos Estados Unidos, e CNET (Centre National d´Études des Télécommunications), na França.

Nos anos 1980, o Brasil lançou seu primeiro satélite doméstico e o Centro de Estudos em Telecomunicações da PUC-Rio inovou ao analisar diversos sistemas de transmissão como rádio digital, comunicações óticas e novas técnicas de modulação, codificação digital e de interferências. Também contribuiu para ampliação dos sinais de radiopropagação por todo o país. Ainda na década de 80, o CETUC começou seu programa de Doutorado, ofereceu cursos para empresas operadoras e participou da criação da Sociedade Brasileira de Telecomunicações.

Na década seguinte, o CETUC acompanhou a evolução da segunda geração de satélites domésticos, projetou antenas embarcadas que deram cobertura em todo o território nacional e desenvolveu metrologia de fibras óticas. Com a chegada dos celulares, o Centro participou do estudo das diferentes técnicas de modulação e acesso, do desenvolvimento de ferramentas de planejamento e, com a privatização, passou a oferecer serviços especializados às novas operadoras que chegavam ao Brasil.

Entrando no século XXI, o CETUC permaneceu à frente de seu tempo, fechando novas parcerias com instituições públicas e privadas e, com isso, ampliando seu campo de atuação. Projetos com Ecad, Petrobras, Inmetro, Aeronáutica, Marinha, entre outras, são alguns exemplos de novos desafios que o Centro de Estudos de Telecomunicações assumiu nos últimos 15 anos.

Com o Inmetro, o CETUC abriu seu laboratório 5G de comunicação sem fio, oferecendo soluções inovadoras para a próxima geração de telefonia celular. Além disso, toda a tecnologia digital voltada para rádio, TV e banda larga foi tema de diversas pesquisas no CETUC.

Aeronáutica e Marinha também fecharam importantes parcerias com o Centro. A criptografia do Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM), em parceria com o ITA, ficou a cargo do CETUC. A arquitetura da rede de telecomunicações dos Sistemas de Controle e Defesa do Espaço Aéreo Brasileiro é outro exemplo de sucesso nos projetos com a Aeronáutica. Já a colaboração com a Marinha do Brasil deu origem ao desenvolvimento de miniantenas para sistemas de radares embarcados.

Na área de semicondutores, o CETUC conta com um laboratório que possui o mais moderno equipamento de deposição de materiais semicondutores existente na América do Sul. Enquanto líder em pesquisa tecnológica do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Nanodispositivos Semicondutores (INCT-DISSE), o CETUC é parceiro de instituições de ensino e pesquisa como UFAM, UNIFAP, UFMG, UFU, UFRJ, CTEx, IEAv, USP, UFSCar, Unicamp-Limeira.

As iniciativas de pesquisa levaram o CETUC a ser premiado e participar diretamente de ações com a sociedade, através de uma parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro para a implantação de estruturas que promovem o acesso wi-fi gratuito à internet, em comunidades cariocas como Dona Marta, Rocinha, Cidade de Deus, Complexo do Alemão, Manguinhos, Pavão-Pavãozinho e Cantagalo. Em conjunto com o Instituto de Mídias Digitais da PUC-Rio, criou o Portal Rio Estado Digital, que incentiva o empreendedorismo e oferece cursos profissionalizantes a distância e semipresenciais.

“A formação que o CETUC oferece aos alunos de graduação e pós-graduação está alinhada às necessidades do mercado. Mercado, este, em permanente evolução, que acompanhamos  de perto, com pesquisas relevantes ao desenvolvimento da sociedade brasileira”, reforça Hasselmann.

 

[/html][/fluid]


Centro de Estudos em Telecomunicações da PUC-Rio
Rua Marquês de São Vicente, 225 - Ala Kennedy - 7º andar - Gávea - CEP 22451-900 - Rio de Janeiro - RJ
+55 21 3527-1679 / 3527-1680 / 3527-1151 / contato@cetuc.puc-rio.br
Copyright (C) 2013 CETUC. Todos os direitos reservados.
Site desenvolvido por Marcelo Balisteri